segunda-feira, 21 de abril de 2008

Capítulo 45

Sorrir
Quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios
Sorrir
Quanto tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador
Sorrir
Quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doloridos
Sorrir
Vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

domingo, 20 de abril de 2008

Capítulo 44

Na entrevista de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá ao Fantástico ficou comprovado que mais uma vez a culpa é da mídia. É, eles quase me convenceram que foi a mídia que entrou no apartamento e jogou a criança pela janela.

Capítulo 43

Qual o tempo máximo pra se esperar pela resposta de um e-mail? Uma hora, um dia, uma semana, um mês, uma vida... Bom, profissionalmente falando, se a resposta não chega rápido, logo eu uso o bom e velho telefone. E por trás do telefonema está a impaciência de quem não sabe aguentar muito e usa a desculpa de que no jornal onde trabalha tudo tem urgência extrema (mesmo que não tenha). E-mails pessoais são os piores. Não tenho um grande jornal pra usar como desculpa. Aí, a solução é esperar. E nesse longo tempo que pode ser a espera, você pensa, o e-mail pode não ter chegado, pode ter ido pro lixo eletrônico, pode ter sido ignorado, pode ter deixado a pessoa sem palavras (literalmente), pode ser qualquer coisa.

Capítulo 42

Acho que tem uns dois ou três episódios de Grey´s Anatomy que assisto e só consigo prestar atenção em uma coisa: Dr. McDreamy!! Nem era minha atenção ficar viciada em mais um seriado, mas naquela rotineira mudança de canal, eis que ele estava lá, McDreamy. O causador por eu não ter a menor idéia de qual é a trama do seriado, do nome dos personagens, legendas, nada. Tá, sei que se passa num hospital, mas até aí né...

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Capítulo 41

A sensação de impotência diante da impossibilidade de fazer o tempo andar pra trás é tão grande que só faz a vontade de seguir adiante ser maior ainda.

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Capítulo 40

Quando era pequena, eu queria ser caixa de supermercado quando crescer. Eu achava o máximo, ela ficava sentada o tempo todo e ganhava muito dinheiro. É, eu pensava que todo aquele dinheiro ficava pra ela. Mas a gente cresce e amadurece as idéias. Bom, resolvi ser jornalista, porque eu gostava de escrever e ingenuamente sonhava que fosse escrever sobre o que eu quisesse. Diante de tantas opções confusas, me permite fazer outra escolha. Dessa vez, o teatro. Lá, posso ser várias e ao mesmo tempo não ser ninguém. Mas eu ainda não desisti de ter uma caixa registradora cheia de dim dim.

terça-feira, 15 de abril de 2008

Capítulo 39

Duas amigas conversando:
Amiga 1 - Acho que eu vou ficar sozinha pra sempre.
Amiga 2 - Por que?
A1 - Pensa em quantas pessoas há no mundo. Qual a possibilidade de você gostar de alguém e esse mesmo alguém gostar de você ?
A2 - Humm.. é...é bem mais provável que você goste de alguém que não goste de você ou vice-versa
A1 - É, pra dar certo é um em milhão...
A2- .... é.... acho que vou ficar sozinha pra sempre também

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Capítulo 38

Há dias na vida que você percebe que tudo é faz de conta.
Você está andando na rua e alguém acena e você acena de volta, mas não era pra você.
A promoção anunciada na vitrine da loja, não é pra você, até seria se você tivesse o cartão específico, mas você não o tem.
O telefone, mas nem adianta ou é engano ou não estão a sua procura. E se estão, é só profissionalmente.
Você tá virando a esquina e vê o ônibus passando, daí você corre, chama a atenção de toda a rua, chega no ponto e percebe que não é o seu ônibus.
Você pensa que recebeu um e-mail, mas era só mais um spam fazendo volume na sua caixa de entrada.
Você acha que tem um cara a fim de você, mas na verdade ele só tem olhos pra sua amiga.
Você acredita piamente que amanhã será melhor; mas o amanhã chega e tudo está igual.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Capítulo 37

Uma das melhores frases que ouvi de uma amiga "Eu tento gostar de todo mundo, mas as pessoas não contribuem." É, eu também tento gostar de todos, mas é tão difícil...

segunda-feira, 7 de abril de 2008

Capítulo 36

Quantas vezes vocês já desistiram de escrever, por qualquer que seja o motivo. Quantas vezes entre uma letra e outra a tecla backspace tomou conta do seu texto e com num instante ele já não estava mais lá? Ou então um ctrl+t + delete mesmo, é mais rápido e prático.
Acabei de apagar um scrap que nem cheguei a mandar para um dos meus 267 amigos orkutianos. Pior que era a coisa mais boba do mundo o que eu ia escrever, mas sei lá o que foi, um misto de o que ele vai pensar, se alguém ler e por que eu tô escrevendo isso, rsss. Não foi fácil não mandar o scrap e entrei e sai três vezes da página da pessoa (o orkut ainda não revela quantas vezes a mesma pessoa entrou na nossa página, né, rsss).

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Capítulo 35

O texto a seguir é do Alexandre Aquino (Alf para os mais chegados, hehe.) Muito bom Alf, volte sempre!!!


A nova concepção do amor: Como conseguir viver uma relação amorosa no século XXI

Por muito tempo tentei entender porque não conseguia viver um relacionamento em que tudo fosse perfeito. Por que aquela história linda e bela que via nos filmes, nas novelas e lia nos livros jamais reinara em minha vida? Cheguei a acreditar que a culpa fosse minha e que eu era um fracasso nas questões amorosas. Comecei a refletir mais sobre o assunto e a observar os casais que por algum motivo não deram certo e aqueles que são "felizes" até hoje. Foi então que conclui que a culpa não era minha. Esperar encontrar algo perfeito havia sido o meu erro. A concepção da palavra amor deve ter perdido o seu sentido original. O século XXI mudou completamente a concepção desse verbete no dicionário e eu acredito que temos que começar a entende-lo melhor de acordo com a nossa nova realidade. Os casais que não deram certo não conseguiram tolerar os seus defeitos. Aqueles que vivem juntos se esforçam para superar as infinitas crises e ficarem ao lado um do outro em todos os momentos.
É importante lembrar que o ser humano erra e, por isso, aquele AMOR de conto de fadas onde tudo é bonito, onde tudo é certo, não passa de lenda, acredite, procurar esse tipo de relação hoje é estar fadado ao fracasso. Passei a pensar em como ser mais útil e tolerante para ter algo duradouro e talvez eterno ao lado de alguém. O Primeiro passo rumo a felicidade é querer estar ao lado da pessoa. E talvez esse seja o fator determinante para todo o resto. Os indivíduos acreditam que estão prontos para assumir uma relação, quando na verdade ainda não amadureceram o suficiente para isso. Mas se estivermos dispostos a seguir em frente, então já temos um bom começo. No entanto, o fato de querer alcançar a "felicidade" não nos livrará dos futuros problemas. O segundo passo é se esforçar para aturar os defeitos daquela pessoa e ter ciência de que brigas e crises certamente acontecerão. Se tivermos alguém que consideramos importante e quisermos tentar algo com essa pessoa não nos esqueçamos que o orgulho fatalmente destruirá a sua relação. Pois é, em alguns casos engolir desaforos e pedir desculpas não é vergonha nenhuma. Além de ser um ato nobre muitas vezes se torna uma saída para amenizar crises e fazer reconciliações. Por fim, é importante saber lhe dar com os sentimentos que se misturam. É isso mesmo! Casais que convivem durante muitos anos, tendem a misturar os sentimentos. Ora gostamos daquela pessoa como irmã, ora apenas como uma amiga, em certo momento até o instinto maternal ou paternal nos ataca. Nesse momento, o importante é manter a calma e dialogar (essa é sempre a melhor ferramenta temos que deixar de ser primatas) para que se quebre a rotina da relação. O fundamental é jamais desistir. Ai me pergunto: Por que faria tudo isso por alguém?
Simples, porque tenho vontade de viver momentos felizes. É aquela velha e sábia história: Depois da tempestade vem a calmaria. Se ambos estiverem dispostos a enfrentar estes problemas, se fizerem questão de serem cúmplices, então viverão momentos de grande felicidade juntos e poderão dizer para todos que realmente o verdadeiro AMOR (mas não aquele de novelas, filmes, livros e dos séculos passados) chegou em suas vidas.