sexta-feira, 27 de junho de 2008

Capítulo 62

Toda entrega tem seu preço. Quanto mais você se doa, se dedica, quer que algo dê certo, maiores são as chances de uma hora ou outra você se decepcionar, se irritar e um "pequeno" detalhe pode acabar com seu dia. Minha adorada sexta-feira e parte do meu fim de semana, se eu não deixar logo isso pra lá, estarão condenados por causa de um B. Uma merda de B. Por mais exigente comigo mesma, o problema nem foi tanto o meu B, mas ver que outros tipos de pessoas tiveram o mesmo B.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Capítulo 61

Passar vírus por e-mail não é novidade nenhuma. Há anos escuto, "se vc receber um e-mail de alguém que não seja seu amigo, pedindo pra clicar, não clique." Ok, nunca cliquei, quando vejo um e-mail desses logo deleto. Mas de uns tempos pra cá, as mensagens têm se tornado cada vez mais inovadoras. E de tanto recebê-las, uma hora você começa a se perguntar se aquilo não é mesmo um link inocente. Li uma vez que de tanto você ouvir, falar, ler uma mentira ela acaba se tornando verdade. E é mais ou menos isso que acontece toda vez que vejo um e-mail assim na caixa de entrada. Ultimamente tenho recebido coisas como:

"Seu crédito foi aprovado, para que ele entre automaticamente na sua conta, clique aqui", (Mesmo sem nunca ter solicitado crédito em nenhum lugar, se eu clicar aqui eu posso ter um dinheiro a mais na minha conta, sem fazer esforço nenhum, rssss, olha a tentação);

"Alguém te ama e mandou este cartão, clique aqui para ler" - Não, ninguém te ama, mas depois de receber três e-mails assim, você já cogita que alguém realmente preparou um cartão virtual pra vc, que te ama e é muito insistente.


"A compra da sua passagem para Salvador foi efetuada com sucesso" - É óbvio que vc não comprou passagem nenhuma, ainda mais pra dois meses atrás. Mesmo com conteúdo tão absurdo, você vai até o site da companhia aérea e confere o seu cadastro e vê se vc não comprou nada há dois meses e simplesmente esqueceu da viagem.

"Veja as nossas fotos do fim de semana" - Este deve ser o campeão. E pior, mesmo sem ter saído de casa todo o final de semana, você se pergunta se realmente não saiu de casa, afinal a fulana tá mandando as fotos. Será que vc foi, bebeu, ficou muito louca que nem lembra das fotos?

Bom, cuidado, não clique em nada, você não pediu crédito nenhum, nem comprou passagem, não tirou foto e muito menos alguém te ama. Então, não clica!

terça-feira, 17 de junho de 2008

Capítulo 60

Estava conversando com a Ana e a Pams quando aparece um cara pedindo uma caneta, se apresenta só pra mim, pega um lápis com a Ana e sai.

Eu- Vcs já conhecem?
Elas - Já
Eu- Quem é ele? Da onde ele é?
Ana - Ele é clau

Humm... e daí que o apelido dele é clau? Insisti por mais informações:

Eu - E o clau é da onde?
Ana - É clown, do curso de clown
Eu - Ah, achei que fosse clau de Cláudio.
Ana - Ahahhahahhahahhahahha .... (uma infinita risada)

Capítulo 59

Deluque, ao contrário do que vc pensou ontem não era meu aniversário, rsss. Vi o scrap que vc desfez a confusão, rsss. Engraçado, ontem também outra amiga me lembrou que meu aniversário tá chegando. Ok, confesso, ainda espero ansiosa pela meu aniversário. Não, não gosto de ficar mais velha. Gosto mesmo é de ganhar presente, hehe. Enfim, de acordo com a astrologia (?) estou no meu inferno-astral. Fase que teoricamente tudo que tem pra acontecer de errado, realmente acontece. Bem, pelo menos foi o que sempre entendi de todas as explicações sobre inferno astral. Tá, espero que não seja uma fase tão terrorista assim, senão vou pensar duas vezes antes de sair de casa. Em todo caso, já estou usando essa desculpa. Hoje mesmo me dei o direito (uma tremenda folga, na verdade) de dormir muito além do que eu deveria. Frio, resfriado, metrô lotado e... inferno-astral!! Pra que facilitar? Pra que dar motivos para que o inferno-astral se manifeste, não é mesmo? Se eu passar esse período hibernando, tudo estará sob controle. I hope so.....

Capítulo 58

A trilha sonora do momento. Bom, não sei por quanto tempo ainda, mas pelo menos desta tarde: Duffy. Ouçam sem medo, nada a ver com o pop chatinho da Hilary Duff.

PS. Não sei como colocar link aqui, rsss..mas deixo a letra de uma música dela


Scared - Duffy

The blank pagesOf my diary
That I haven't touched
Since you left me
The closed blinds
In my home
See no light of day
Dust gathers
On my stereo
Cos I can't bare
To hear the radio
The piano sits
In a shaded space
With a picture
Of your face
I'm scared
To face another day
Cos the fear in me
Just won't go away
In an instant
You were gone
And I'm scared

Coffee stains
On your favorite book
Remind me of you
So I can't even look
The magazines
You left on the floor
You won't need
Them anymore
A towel left
Hangin on the wall
No sign of wet foosteps
In the hall
There's no smell
Of your sweet cologne
I'm lying here alone
I'm scared
To face another day
Cos the fear in me
Just won't go away
In an instant
You were gone
And now I'm scared
I'm scared
To face another day
Cos the fear in me
Just won't go away
In an instant
You were gone
Now I'm scared
In an instant
You were gone
And I'm scared

domingo, 15 de junho de 2008

Capítulo 57

Filmes pra pensar sobre a vida:

Um homem de família
Efeito borboleta
Brilho eterno de uma mente sem lembranças

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Capítulo 56

Conversa durante o ensaio no teatro:

A - Vc já decidiu o que seu personagem irá fazer enquanto estiver fora de cena?
B- Já, ele vai tocar violão
C- Ué, mas ele não é cego?
B- É, por isso mesmo.

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Capítulo 55

Um texto bem bacana do Nando Reis:

Quando eu estiver triste
simplesmente me abrace

Quando eu estiver louco
subitamente se afaste

Quando eu estiver fogoso
suavemente se encaixe

E quando eu estiver bobo
sutilmente disfarce

Mas quando eu estiver morto
suplico que não me mate dentro de ti

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Capítulo 54

Mudar pra um apartamento maior que o seu antigo tem suas desvantagens. Uma delas é que o cheiro de queimado vindo da cozinha demora mais pra chegar no seu quarto....

segunda-feira, 2 de junho de 2008

Capítulo 53

Hoje uma colega me perguntou "você não vai escrever nada sobre Sex and the City?".. Hummm.. não. Pra quê? Já tem tanta gente falando. E olha só, mesmo não falando, eu já tô falando sobre. Tinha certeza que ia cair nessa, por isso respondi que sim pra minha colega. "Vou, vou escrever". Droga, por que eu disse que ia escrever? Pra dizer que a cobertura dos meios de comunicação tem sido muito eficiente e até minha vó está achando que esse é o melhor filme do século e a essa hora deve estar fazendo um teste em qualquer site/revista pra ver com qual das quatro garotas da Big Apple ela mais se identifica?

Quando a série estreiou eu tinha 14, 15 anos. Naquela época eu achava o programa o máximo. Era o mínimo, né, porque o seriado não era pra garotas da minha idade, era pra mulheres na faixa dos 30 anos. Com o tempo fui perdendo o encanto com a série, e em vários momentos até torci pra que a série fosse cancelada. Ah, fala sério, uma mulher de 30 e poucos anos, independente, que todo dia está nos mais badalados de Nova Iorque passa seis temporadas, 96 episódios (sim, eu vi todos!) comprando sapatos caríssimos e nutrindo esperanças com o tal Mr. Big? Humf, eu com 18 anos já sabia destinar melhor todo o investimento. Pegava toda a grana que ela já gastou em sapatos e ia pra Paris. E não voltava mais.

Com as primeiras notícias de que um filme sobre a série estava a caminho, fiquei curiosíssima, oras se o seriado já teve um happy end como era esperado em toda história, que mais eles tinham pra mostrar? Não sei, isso eu ainda não. Só vou sexta-feira.

Capítulo 52

Diz a lenda que Paul McCartney fez esta música (seu nome original era Hey Jules) como consolo para Julian, filho de John Lennon, na época em que Lennon se separava de Cynthia. Eu ainda acredito que Paul fez esta música só pra mim.

Hey, Jude, don't make it bad,
Take a sad song and make it better.
Remember to let her into your heart,
Then you can start to make it better.

Hey, Jude, don't be afraid,
You were made to go out and get her.
The minute you let her under your skin,
Then you begin to make it better.
And anytime you feel the pain,
Hey, Jude, refrain,
Don't carry the world upon your shoulders.
For well you know that it's a fool
Who plays it cool
By making his world a little colder.

Da da da da da da da da da.
Hey, Jude, don't let me down,
You have found her, now go and get her.
Remember to let her into your heart,
Then you can start to make it better.
So let it out and let it in, hey Jude, begin,
You're waiting for someone to perform with.
And don't you know that it's just you,
hey Jude you'll do,
The movement you need is on your shoulder.