quarta-feira, 16 de maio de 2012

Capítulo 324

Sabe aqueles dias em que dá um faniquito e você precisa mudar algo? Bom, em geral, a primeira vítima é o cabelo. Foi no meu caso. Há meses e só agora consigo falar abertamente sobre isso. Vocês entenderam mais pra frente. Não bastava uma mudança caseira (uma franja ou trocar o tom), eu queria mais. Traí meu cabelereiro de anos descaradamente por um dos hair stylist mais famosos – e caros- da cidade. Tinha isso de querer entender o que esses cabelereiros de celebridade têm: uma tesoura mais abençoada, um dom à la Edward, mãos de tesoura, enfim, a questão era que eu não podia morrer sem saber qual era o mistério. Não vou responder com um seco “nada”, mas foi quase isso. Você chega, guarda sua bolsa em um armário com chaves e desde a atendente até o cabelereiro, passando por todos os assistentes (o que lava, o que enxuga, o que seca, o que modela), todos fazem um elogio às suas madeixas. Dá até pra duvidar da veracidade daquelas palavras. Verdade ou técnica do media training que os funcionários do salão recebem?  Óbvio que quem cortará o seu cabelo não é o cabelereiro pop, que muitas vezes leva o nome do salão, esse, meu bem, só corta o cabelo da Angélica, Grazi Massafera e de mais uma dúzia de modelos. Pois bem, lá está você entregue a um cabeleireiro que nunca viu na vida e acreditando que você verá algo totalmente revolucionário e magnífico na sua cabeça. Bom, na cabeça eu não sei, mas na conta sim, algo que eu nunca tinha visto. Você paga pela lavagem, pelo xampu, condicionador, creme, para secar e pelo valor que me cobraram acho que até para respirar dentro do salão. Resumo da ópera: não valeu a pena: um corte básico – que ficou bem sem graça nas primeiras semanas -, que só me fez me arrepender da traição com meu cabeleireiro de anos (que foi super elogiado pelo trabalho que tinha feito no meu cabelo). Sem falar no valor da conta, que levei dias, semanas e meses para conseguir assimilar: onze vezes o valor que eu costumo pagar. ONZE!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Capítulo 323

Meus parabéns para Carolina Dieckmann são sinceros. Faço parte da parcela de brasileiros que na última sexta-feira viu Carolina Dieckmann pelada. E viu a segunda parte no sábado. Desde então, muito se tem falado se era ou não ela mesma e como as fotos vazaram. E o ponto mais importante, Brasil??? Hein?? Ninguém vai comentar que Carolina tem um corpo digno de fazer inveja nas photoshopadas da Playboy e afins? Ninguém vai dar o braço a torcer?? Ok, o peito não é naturalmente dela e sabemos - desde os tempos em que ainda era Açucena - que Carolina é amiga inseparável da celulite, mas ainda assim ela merece parabéns: corpão conquistado sem aquele discurso chato e politicamente correto de muita mulher que refeição é só uma saladinha. Gente, já dizia minha avó “saco vazio não para em pé”. Carolina sabe que fast-food faz bem e é necessário (de vez em quando) - http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1630701-9798,00-DIETA+PARA+QUE+CAROLINA+DIECKMANN+DEVORA+FAST+FOOD+EM+SHOPPING+DO+RIO.html . Claro, não podemos esquecer que tem a parte academia também, mas sem escravidão. Se eu fosse Carolina processava quem tirou aquelas fotos na época em que ela estava grávida, 30 quilos acima do peso, na praia - Google, essas ainda estão e você acha fácil – as desta semana só mostram Carolina causando mais inveja.