quinta-feira, 14 de março de 2013

Capítulo 327


Fiquei parada por não sei quanto tempo olhando o computador. Nada. Nem uma palavra. Nem uma frase tola. Absolutamente nada.  
Pensei que fosse um dia não-tecnológico e recorri ao papel e caneta, mas não deu resultado.  Minhas ideias tinham sumido mesmo. Não, não é possível. Há tantas coisas passando pela minha cabeça. Será que foi o tempo parada que me deixou enferrujada? Será que escrever é como andar de bicicleta? Há tantos assuntos sobre os quais eu adoraria comentar: o mundo tem um novo papa e argentino, os jogos do Corinthians na Copa Libertadores, acidentes com ciclistas, o mini PIB brasileiro, Coréia do Norte, o último casamento que fui, a importância dos rituais, depressão, como se perde o interesse em viver, relação, traição, sonhos possíveis, sonhos impossíveis, novos caminhos profissionais, viajar, poesia.....
Que minhas ideias se percam, viajem para longe, mas voltem logo porque estou precisando escrever tudo que se passa. 

"Tudo que se passa no onde vivemos é em nós que se passa. Tudo que cessa no que vemos é em nós que cessa" (Fernando Pessoa).

Feliz dia da poesia pra vocês!