quarta-feira, 31 de julho de 2013

Capítulo 334

Quando nem aliança, nem o famoso “em um relacionamento sério” servem de nada. Está lá: escancarada na mão ou registrado na vida virtual. Adiante de alguma coisa? Espanta gente interessada? Ou faz o casal ser fiel para sempre? Não, não faz e nem afasta ninguém. A fidelidade e a lealdade estão dentro de cada um. E a gente sempre torce que para que elas superem a imaturidade que traz a necessidade de ser para sempre desejado por quem quer que seja.

Por que essas duas coisinhas importam tanto? Será o destino de todos estarmos em “um relacionamento sério” abençoado por Mark Zuckerberg e uma aliança brilhando nos dedos?
Isso importa para todo mundo? Para o resto da humanidade não faço ideia, mas posso dizer pela dona desse blog, romântica incorrigível, que sim, todos os mínimos detalhes importam. Você não quer ostentar muitos reais na sua mão, é só a necessidade de um símbolo, de manter ritos e rituais. Tudo é tão prático hoje em dia. Você não precisa mais noivar anos para casar, você não precisa ser casada para viajar com seu parceiro, você não precisa mais nem ser apanhada em casa (ainda mais se você morar longe). As coisas são cada vez mais de uma praticidade assustadora. Aí vai tudo se atropelando: paixão vira amor, tesão vira amor, tudo vira amor e tudo vira casamento. Não no sentido tradicional da palavra, mas de um jeito ou de outro, todo mundo “casa" do dia para a noite.


Que a mudança de marcha e o pé no acelerador aconteçam na hora certa e sem deixar de lado símbolos e rituais. E que assim seja, até que a morte os separe! 

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Capítulo 333

Menos de uma semana para o aniversário. É uma época muito parecida com final de ano. Você está encerrando um ciclo, repensa a vida e faz planos. Neste último ano tudo pareceu mais intenso. Saturno fez o retorno e deve ter dado mais algumas voltinhas na minha cabeça. Cada vez aceito menos levar desaforo pra casa. E aquele ritmo de aceitação ficou para trás "ah, é assim porque a vida é assim". "Na vida real é praticidade". Não mais. Você quer com emoção. Tudo com muita emoção. Amizades verdadeiras, rosas pelo ar, surpresas, realizações, intensidade. Sem espaço para mais ou menos. Que seus sonhos de fato se realizem. Que você esteja completa e que transborde muita alegria com a nova idade. 

terça-feira, 9 de julho de 2013

Capítulo 332

Antes eu não gostava de pessoas que levantavam a bandeira de que uma vida com muito romantismo é brega, piegas. “Não existe isso, ninguém vive sempre assim: flores, surpresas, carinhos e a mesma vontade de ficar junto sempre, além de outros elementos”. Hoje, mais velha e experiente, posso dizer que eu odeio essas pessoas. Que elas entendem da vida? Que elas sabem do amor?

Acreditar no amor na sua forma mais romântica é para poucos. Tem gente que erra tentando encontrá-lo. Tem gente que passa a vida fugindo, achando que seja uma utopia. Como alguém pode sonhar em se relacionar com alguém e acreditar não ser importante gestos carinhosos, surpresas em datas especiais (e fora delas também), flores, tratar a pessoas como se fosse a mais especial do mundo, escrever cartas de amor, fazer mini declarações nas redes sociais, ouvi-la como se fosse a única na face da Terra, fazê-la se sentir a pessoa inteligente e linda desse mundo. Como? Não consigo entender.

O pior é que os descrentes tentam levar todos para o seu lado. “Viva com mais pé no chão, sonhe menos”. O mundo deveria ser dividido fisicamente entre os que acreditam no amor e aqueles que o acham brega-piegas.  Eles logo perceberiam que não há felicidade sem amor.