quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Capítulo 346

Onde foram parar as pessoas boas de papo? É, aquelas pessoas que gostavam de conversar sobre cultura, esporte, cotidiano e coisas banais da vida? E eu não falo de porteiros, feirantes e colegas de trabalho. E nem de conversas de mesa de bar, porque quando tem cerveja tudo flui incrivelmente bem.

Não sei quando e nem o que exatamente aconteceu, mas há um paradoxo aí. Você pergunta coisas simples do tipo “foi com quem ao cinema?” ou “fez o que ontem?”, “vc vai pra onde depois daqui?”. Pronto, logo vem a resposta: “isso é muito pessoal”. ISSO É MUITO PESSOAL. Bom, vai ecoar na sua cabeça por um bom tempo. Aí eu me questiono, se isso é muito pessoal para ser perguntado para uma pessoa próxima, vou perguntar o que? Vou manter conversa de porteiro com os próximos também? “É, vai chover... Tá muito quente... Vai faltar água...blablabla”. Vou nem comentar quando a gente é ignorada por causa do celular ou da televisão. Falta de educação nível master. Sabe aquele momento “ah, pode falar que eu tô te ouvindo”. Você fala. A pessoa responde: “Que vc disse mesmo?”

Conversar se tornou algo tão raro e difícil. Você tem que ficar cheia de dedos pra não ser inconveniente, mas não vê muito sentido porque essas pessoas fazem parte das que mais se expõem nas redes sociais. Você sabe a opinião política – ainda que não queira – pois a pessoa compartilha tudo sobre o seu candidato, você sabe quando ela está numa pior, porque são muitas as frases de auto-ajuda; você sabe quando ela está afim de ser polêmica, além das fotos de férias, na praia, passeios de final de semana, selfie, do cachorro, do papagaio, dos filhos, de tudo!! Resumindo, muita exposição de graça e pra isso basta adicionar a sua rede de amigos.

Ok, é do direito de cada um querer ser discreto no mundo real (ahãn, senta lá, Cláudia) e manter-se super exposto no mundo virtual. E talvez eu seja uma chata que faz muitas perguntas, que não se cansa de conversar e que sempre tem algo muito incrível pra contar do seu dia – sem necessidades de colo, confetes ou afins aqui. Só uma conclusão séria. Mas, olha, que tá faltando gente boa de papo neste mundo, isso tá.  






Nenhum comentário: